segunda-feira, 28 de junho de 2010

Outras exposições em Goiânia: Sobral no Museu de Arte de Goiânia; Sanatan, também no MAG; Wés na Galeria Potrich; Fe Córdula na Fundação Jaime Câmara - contemporâneos e primitivistas - vale à pena ver todos.

domingo, 27 de junho de 2010

Olhaí, mais umas imagens da exposição. São os últimos dias, vai até o dia 30, provavelmente fique até o dia quatro quando vai ser desmontada.



segunda-feira, 21 de junho de 2010


Mais imagens da exposição...
Esse trabalho tridimensional é interativo. As peças podem ser trocadas de lugar por quem quiser interferir e dispostas da forma que quiser, montando sua própria cidade.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

foto da exposição

convite para exposição



Visite minha exposição "OCUPAÇÃO",


na Galeria da FAV


- Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás.


Veja o Convite.


Veja fotos.

terça-feira, 8 de junho de 2010

Sobre Gravuras

A arte tem que ir aonde o povo está”. (Milton Nascimento).

O objetivo deste espaço é mostrar minha produção artística.
Ninguém acende uma luz e põe debaixo de uma mesa (isso é bíblico), a luz foi feita para iluminar. A arte é feita pra ser vista.
Como nem sempre se pode realizar uma exposição, e nem sempre as pessoas têm acesso a ela, quando acontece, tentarei fazer desse espaço um espaço expositivo, mostrar, sempre que possível, minha produção mais recente.
E, alguma informação mais que possa parecer interessante.




Sem Título,
Dimensões da imagem: 48 x 39 cm
Dimensões do papel : 56 x 46 cm
Técnica/processos: Gravura em PVC

Perfil


ZÈCÉSAR,
José César Teatini de Souza Clímaco,
artista plástico, gravador, professor de gravura na Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás,
desde mil novecentos e oitenta, graduado em Ciências Sociais e em Artes Plásticas pela Universidade Federal de Goiás
e doutorado em Artes pela Universidad Complutense de Madrid. Percussionista da banda Umbando.
Brasileiro, fluminense de nascimento (Volta Redonda),
mineiro de criação, goiano desde os quinze anos, meio baiano pela proximidade com a capoeira,
um pouco paulista pelos dois anos vividos em São Paulo
e espanhol pelos quatro em Madri, italiano por descendência, meio “cidadão do mundo”, como diria Drummond,
“qualquer lugar do mundo me cabe”.
Residente em Goiânia. Exposições em Goiânia, Anápolis, Cidade de Goiás, Jataí, Brasília, Curitiba, Belo Horizonte,
São Paulo, Lima/Peru, Brisbane/Austrália e Madri/Espanha.